CNTQ realiza I Jornada Jurídica Telepresencial

0
69

Para discutir os desafios do movimento sindical no fortalecimento da negociação coletiva e equilíbrio entre as forças entre capital e trabalho, a CNTQ realizou hoje a I Jornada Jurídica Telepresencial com a presença de cerca de 50 pessoas dos estado de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso e Paraná.

A abertura teve a participação de Antonio Silvan Oliveira, Presidente da CNTQ, Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da Federação dos Químicos de São Paulo, e Issac Wallace, presidente da Federação dos Químicos do RJ.

“Neste momento de grandes desafios e embates, também é fundamental fazermos uma reflexão sobre o comportamento e o papel do Judiciário em momentos importantes do cenário nacional nas diversas áreas”, disse Silvan.

Serginho falou que “desde a reforma trabalhista em 2016, enfrentamos ataques aos direitos dos trabalhadores e a tentativa de acabar com o movimento sindical, mas mesmo assim, nossa a categoria química tem se mostrado resistente e perseverante, preservando direitos e realizando negociações coletivas”. Para ele, o momento é de repensar a estrutura sindical e buscar soluções para os desafios que surgem junto com as mudanças substanciais na organização do trabalho.

Wallace parabenizou a direção da CNTQ pela organização do evento e ressaltou a importância da Confederação e da assessoria, do departamento jurídico, em especial, neste momento de tantas mudanças que o movimento sindical vem passando.

Amilcar Albieri Pacheco, Consultor Jurídico da CNTQ, coordenou o evento que teve palestra de Drº César Augusto de Mello, Consultor Jurídico da CNTQ, sobre o atual contexto e a estrutura sindical brasileira; “A sobrevivência sindical frente ao cenário de desconstrução social” foi o tema da palestra de Drª Caroline Sena, Advogada Trabalhista e Diretora da Associação de Advogados Trabalhistas do Distrito Federal; e Drº Arnaldo Boson Paes, Desembargador do TRT da 22ª Região (Piauí) e Doutor em Direito (PUC-SP e UCLM-Espanha), que discutiu o futuro do trabalho e os desafios do movimento sindical.

Para encerrar, Silvan agradeceu mais uma vez a cada um dos participantes advogados, consultores jurídicos dos Sindicatos e Federações que compõem a representação nacional do setor químico e também aos palestrantes, destacando a importância da troca de informações para o fortalecimento da Família Química.

Deixe uma resposta