Campanha Salarial do Etanol conquista acordos em várias regiões do estado

0
323
Foto: Sérgio Borges (Sindetanol)

(Atualizado em 28/06/2023)

A Campanha Salarial e Social dos Trabalhadores nas usinas e destilarias de produção de etanol no estado de São Paulo está ganhando força e avançando em diversas regiões.

Com data-base em 1º de maio, a FEQUIMFAR e seus Sindicatos filiados, que representam um total de 25 mil trabalhadores do setor, estão mobilizados em todo o estado.

“A Campanha Salarial está avançando em todo o estado, com avanços e reajustes salariais acima da inflação, que ficou em 3,83% (INPC/IBGE), a partir de 1º de maio, além da renovação dos Acordos Coletivos de Trabalho com a manutenção de todas as cláusulas sociais. A unidade dos Químicos da Força continua firme pela recuperação do poder de compra dos salários, valorização do Piso e reajuste na PLR.”
Sergio Luiz Leite, Serginho,
Presidente da FEQUIMFAR
e vice-presidente da Força Sindical

Acompanhe os acordos coletivos já firmados:

Região de Ribeirão Preto

O Sindicato dos Químicos de Ribeirão Preto, presidido pelo companheiro Pedro de Jesus Sampaio, já fechou acordos coletivos que vão beneficiar cerca de 70% da categoria na região. Os trabalhadores das usinas Bazan, Viralcool, Viralcool Santa Inês, Batatais, Cevasa, Pitangueiras conquistaram reajuste salarial de 5%, além de manutenção das demais cláusulas sociais.

Região de Ipaussu

Presidido por José Carlos de Paula, o Sindicato dos Químicos de Ipaussu e Região, já fechou acordos coletivos beneficiando os trabalhadores da categoria. Na usina Freitas, de álcool de cereais, os trabalhadores conquistaram Piso Salarial de 1.550,00, reajuste de 8% nos demais salários, PLR de R$ 150,00 e adicional por tempo de serviço de 2,5% (limitado a 5 anos). Na usina Santa Maria, Piso Salarial de R$ 1.626,61, reajuste de 4% nos demais salários, PLR de R$ 1.319,20 e reajuste de 66% no ticket alimentação (R$ 250,00) e refeições gratuitas na empresa. Na usina Tarumã, também de álcool de cereais, Piso Salarial de R$ 1.617,00, reajuste 5% nos demais salários, PLR de R$ 1.000,00, lanches e refeições gratuitos na empresa e um adicional por tempo de serviço também de 2,5% (limitado a 5 anos). Na usina TGM, Piso de R$ 1.704,00, reajuste de 6,5% nos demais salários, PLR de R$ 1.291,00, ticket alimentação de R$ 442,00 e cesta básica.

Região de Bauru

O Sindicato dos Químicos e Etanol de Bauru e Região, presidido por Edson Dias Bicalho, já fechou alguns acordos coletivos na base: os trabalhadores da Usina Ipiranga, em Iacanga SP, conseguiram reajuste de 5% nos salários e reajuste de 10% no cartão alimentação. Os trabalhadores da Della Coletta Bioenergia conquistaram reajuste de 5 % nos salários e no cartão alimentação.

Região de Guaíra

O Sindicato dos Químicos de Guaíra, presidido por Célio Pimenta, já finalizou as negociações coletivas na região e conquistou acordos coletivos importantes para os trabalhadores. Nas usinas Guaíra, Colorado e Alta Mogiana, os trabalhadores conquistaram reajuste de 5% em todas as faixas salariais. Na Usina Tereos, o reajuste foi de 4,5% no piso e de 4% nos demais salários e no ticket alimentação, reajuste de 6%.

 

Região de Araçatuba

Presidido por José Roberto da Cunha, o Sindicato dos Químicos de Araçatuba avança nas negociações com as usinas e destilarias da região. Os trabalhadores das usinas Lins, Viralcool, Diana, Renuka, Cafealcool, Destilaria Ipanema, Viterra, Da Mata, Vale do Paraná e do Grupo Clealco conquistaram reajuste salarial de 5%. Os reajuste nos Pisos Salariais variaram entre 5,27% e 7%.

Região de Presidente Prudente

O Sindicato dos Químicos de Presidente Prudente, presidido por Milton Sobral, já fechou acordo coletivo com a Viterra Bioenergia S.A, em Junqueirópolis (unidade Rio Vermelho). Os trabalhadores terão 5% de reajuste em todas as faixas salariais e também no tiket alimentação (retroativo a maio). Já os trabalhadores da Branco Peres, em Adamantina, conquistaram reajuste de 7,05% no Piso Salarial e 5% de reajuste nas demais faixas salariais.

Região de São José do Rio Preto

O Sindicato dos Químicos de São José do Rio Preto, presidido por João Pedro Alves Filho, fechou acordo salarial com algumas empresas até agora. Na Alcoeste, os trabalhadores aprovaram aumento salarial de 4% de reajuste para todos os salários e PLR, além de 8,40% para o ticket  (R$ 300,00). Na Usina Nardini, o reajuste foi também de 4% para todos os salários e de 21,7% para o ticket (R$280,00). Na BP Bunge, o reajuste foi de 4,5% no piso e de  4% para os demais salários. Na Malosso Bioenergia, o aumento salarial foi de 4,5% para todos os salários e também na PLR. Nas três unidades da Usina Colombo, o reajuste foi de 4,5% para todos os salários e de 5,17% no ticket (R$610,00). Nas duas unidades da Usina Tiete, o reajuste também foi de 4,5% para todos os salários, além de aumento de 6,43% no ticket (R$ 480,00). Na Usina Tereos, o reajuste foi de 4,5% para o piso e de 4% para os demais salários e no ticket de 6,2%. Ainda falta fechar o acordo salarial no Grupo Cofco, na Usina Itajobi e no Grupo Moreno.

Dirigentes da FEQUIMFAR e Sindicatos filiados continuam cruzando todo o estado de São Paulo, realizando reuniões com empresas e grupos de empresas, para negociar as reivindicações da categoria diante da Campanha Salarial e Social de 2023.

Deixe uma resposta