Centrais debatem ações com Doria de combate à crise e à pandemia

0
121

Centrais Sindicais reuniram-se nesta 2ª feira (15.mar.2021) com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para debater uma pauta em comum entre as entidades. A vacinação em massa foi o item número 1 do encontro.

Participaram da reunião o Sergio Nobre, presidente da CUT, Miguel Torres, presidente da Força Sindical, Ricardo Patah, presidente da UGT, Antônio Neto, presidente da CSB, Adilson Araujo, presidente da CTB e representando a Nova Central Nailton Francisco de Souza.

Miguel Torres, presidente da Força Sindical

O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, avaliou como muito positiva a reunião das centrais com o governador de SP, João Doria, na segunda, 15 de março de 2021.

“Levamos nossa solidariedade a ele e aos demais governadores que estão sofrendo ameaças, inclusive de morte, pelas medidas mais restritivas e necessárias que estão adotando agora no combate à pandemia da covid-19”, disse Miguel Torres, também presidente da CNTM e do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes.

Dória gostou da ideia de os espaços físicos das entidades sindicais tornaram-se postos de vacinação Drive-thru, permitindo que as pessoas sejam vacinadas sem sair do carro, e acertou a participação de representantes das centrais sindicais nas reuniões mensais de seu secretariado.

“Aproveitamos para reforçar junto ao governo de SP a pauta unificada das centrais sindicais por: vacinas, já, garantia de emprego e renda para todos, pelo auxílio emergencial de RS 600 reais mensais para quem precisa, até o fim da pandemia, apoio às populações socialmente mais vulneráveis e frentes de trabalho contra a crise, entre outras reivindicações humanitárias e de retomada do desenvolvimento do País”, explicou Miguel Torres.

Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT)

Discutiram também como aumentar o valor do auxílio emergencial, para R$ 600 –o governo federal vai editar uma medida provisória propondo valor médio de R$ 250. O presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores), Ricardo Patah, disse que a ideia é mudar o valor rapidamente no Congresso.

“É uma pauta comum das centrais, que é vacinas, auxílio emergencial –mesmo sendo federal, nós pedimos o apoio dele como governador para que os deputados também pudessem auxiliar nessa necessidade do retorno dos R$ 600”, afirmou.

Também em pauta na reunião a importância do Bolsa Emprego para funcionar no Estado de SP, nesta crise da pandemia, com o mesmo alcance social e econômico do auxílio emergencial nacional, para garantir renda para os trabalhadores sem condições de exercer suas profissões.

Fonte: Com Poder360 / Rádio Peão Brasil.

Deixe uma resposta