Conselho Político da FEQUIMFAR avalia vitória do presidente Lula e vice-presidente Geraldo Alckmin e desafios dos trabalhadores

0
159

O Conselho Político Consultivo da FEQUIMFAR, composto por representantes dos 32 Sindicatos filiados, esteve reunido hoje, dia 1º de novembro, na sede da Federação dos Químicos, em São Paulo SP.

A reunião acontece logo após o segundo turno das eleições gerais, com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), eleito presidente do Brasil, e Geraldo Alckmin (PSB), ocupando a vice-presidência.

“Agradecemos a cada liderança sindical na busca do debate eleitoral e na disputa pelos votos. Mesmo diante de dificuldades, nossa luta foi importante no diálogo, no combate à desinformação e na vitória da democracia. A eleição do presidente Lula representa a esperança de um país melhor e mais justo diante de uma pauta prioritária que inclui o combate a fome, recuperação de direitos trabalhistas e manutenção da democracia.”
Sergio Luiz Leite, Serginho
Presidente da FEQUIMFAR e
Vice-presidente da Força Sindical

O Conselho Político da FEQUIMFAR aguardava nesta manhã a presença do vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, entretanto, em ligação telefônica ao presidente Serginho, justificou a ausência devido ao chamado do presidente da república para assumir o papel de coordenador da equipe de transição do governo.

Avaliação dos Resultados das Eleições e Conjuntura 

Edson Dias Bicalho, secretário geral da FEQUIMFAR e presidente do Sindicato dos Químicos de Bauru e Região, coordenou o evento que foi realizado de forma presencial e remota.

Marcaram presença na mesa de abertura: Jurandir Pedro de Souza, diretor financeiro da FEQUIMFAR, Antonio Silvan Oliveira, presidente da CNTQ e do Sindicato dos Químicos de Guarulhos, e Maria Auxiliadora dos Santos, secretária de políticas para mulheres da Força Sindical e presidente do STTI Instrumentos Musicais e Brinquedos.

André Santos, analista político do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar), fez um balanço sobre a composição da Câmara dos Deputados e do Senado. Ele também destacou as principais pautas em debate e os desafios do movimento sindical: “Será fundamental a unidade de luta do movimento sindical, com apoio da sociedade civil, para o debate amplo dos temas trabalhistas e pautas transversais”. Fausto Augusto Junior, diretor-técnico do DIEESE, falou sobre a Conjuntura Política, Econômica e Social do país e comentou sobre os principais desafios que o novo governo deve enfrentar.

Após as explanações, presidentes e diretores dos Sindicatos filiados fizeram considerações sobre os dados apresentados e avaliaram a campanha eleitoral.

Bicalho aproveitou para reforçar que o Grupo Químico deve manter seu trabalho e unidade, marcado por propostas de avanços e construção de melhorias para a classe trabalhadora, compromissos que são reconhecidos de forma nacional e internacional.

 

Deixe uma resposta