Contra as reformas, trabalhadores de Araçatuba e região estarão representados na Marcha a Brasília

0
590

Os trabalhadores de Araçatuba e região estarão representados na Marcha a Brasília (DF), no próximo dia 24, que tem como objetivo repudiar as reformas previdenciária e trabalhista, propostas pelo governo federal, que se encontram em tramitação no Congresso Nacional. Na terça-feira à noite, cinco ônibus partirão de Araçatuba com dirigentes sindicais e trabalhadores vinculados às suas categorias. A previsão é de que ao menos 250 trabalhadores araçatubenses participarão da marcha.

Dezessete sindicatos com sede ou representação em Araçatuba se reuniram no dia 17 de maio, na sede do STI Araçatuba, para organizar a viagem a Brasília.

Na terça-feira (23) as 20h00 as entidades sindicais farão uma panfletagem no calçadão comercial de Araçatuba para informar aos moradores que não estão omissos na luta contra as reformas que prejudicam a todos os trabalhadores, seja da iniciativa privada ou do setor público, da ativa e também aposentados.

Os panfletos a serem distribuídos no calçadão reforçarão as verdadeiras intenções das reformas: gerar subempregos e subsalários, a mentira de que a reforma trabalhista vai gerar empregos, além da destruição da CLT para retirar direitos conquistados com muita luta pela classe trabalhadora. Quanto à reforma previdenciária, os sindicatos ressaltarão o sucateamento dos atuais benefícios e até a impossibilidade de aposentadoria dos trabalhadores que se encontram na ativa.

Estão comprometidos com a Marcha a Brasília os sindicatos das seguintes categorias: alimentação, bancários, comerciários, construção civil, caminhoneiros, domésticas, frentistas, gráficos, garçons/hoteleiros, indústria do álcool, metalúrgicos, motoristas, processamento de dados, professores da rede pública estadual, refeições coletivas, rurais e saúde. As entidades sindicais envolvidas na Marcha representam as nove centrais sindicais existentes no País: CGTB, CSB, CSP, CTB, CUT, Força Sindical, Intersindical, Nova Central e UGT.

Fonte: Imprensa do STI Araçatuba.
Colaboração: Repórter Antônio Soares dos Reis

 

Deixe uma resposta