Entidades sindicais e patronais discutem agenda positiva de desenvolvimento, investimentos e geração de empregos

0
541

Na última terça-feira, dia 22 de agosto, Herbert Passos Filho, presidente do Sindicato dos Químicos da Baixada Santista e coordenador nacional da SNQ, participou de reunião na sede da FIESP (Federação da Indústria do Estado de São Paulo) entre representantes das Centrais Sindicais e dos setores patronais para discutir medidas para estimular a economia.

De acordo com Passos, o objetivo do encontro foi discutir uma agenda comum pela retomada do crescimento e, consequentemente, do emprego. As propostas serão levadas aos três poderes da República.

Para os representantes dos trabalhadores e da indústria, ficou claro que os principais obstáculos se encontram, inicialmente, na disponibilidade e custo do crédito. As partes não tiveram dúvidas em afirmar que divergem em diversos pontos, mas que nada adianta se novos investimentos não se concretizarem e até que diversos outros antigos não tiverem continuidade e se realizarem.

Também foram levantadas as questões de câmbio e logísticas que proporcionam entraves, nós no desenvolvimento brasileiro.

A Força Sindical esteve representada pelo secretário geral, João Carlos Gonçalves, Juruna, Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de SP, e Passos.

Em sua fala, Passos pontuou as divergências do ICMS e das tarifas de importação como elementos de organização de mercado que poderiam impulsionar a produção do setor químico, hoje extremamente deficitária na relação econômica internacional.

“O maior consenso foi da necessidade de adesão a estas iniciativas positivas pelo setor público, e devido a isto foram agendadas reuniões com os chefes dos três Poderes na semana que vem, pois o Brasil tem pressa e demanda emergencial tendo em vista o nível do desemprego. Referente isso, foi também discutido o aumento das parcelas do seguro-desemprego para amenizar pontualmente as agruras desta parte mais afetada da sociedade brasileira”, disse o dirigente químico.

Deixe uma resposta