Lula é eleito presidente e prega união nacional

0
40
Foto: Ricardo Stuckert

Com 99,28% das urnas apuradas às 20:10 deste domingo, 30 de outubro, Luiz Inácio Lula da Silva é eleito no segundo turno, vencendo o atual presidente Jair Bolsonaro.

Foi a menor diferença entre dois candidatos na história do Brasil, com 50,86 para Lula e 49,14, para Bolsonaro.

Lula foi eleito pela primeira vez em 2002 e reeleito em 2006. Em 2010 conseguiu eleger sua sucessora, Dilma Rousseff, que foi reeleita em 2010.

Em 2016, após uma série de manipulações de setores descontentes com a permanência do Partido dos Trabalhadores no Poder, Dilma sofreu um impeachment cercado de acusações de golpe. Depois disso, nos governos de Michel Temer e Jair Bolsonaro o país sofreu um grande retrocesso na políticas sociais com um avanço da extrema direita como não se via desde a ditadura militar.

Lula foi injustamente condenado pela operação Lava Jato, por um juiz que logo após decretar a prisão do ex-presidente, ingressou no governo de seu oponente, Bolsonaro. A Lava Jato caiu em descrédito após a postura parcial do juiz e após revelações de manipulação pelo jornal Intercept, a chamada vaza jato.

Lula conseguiu recuperar seus direitos políticos e, com a crise política, social, econômica e sanitária que Temer e Bolsonaro criaram, a perseguição a ele perdeu força e milhões de brasileiros passaram a ver em Lula uma esperança pela retomada do desenvolvimento com justiça social e respeito ao meio ambiente e à vida.

Desde os primeiros sinais de que poderia voltar a se candidatar, Lula atraiu diversos apoios, inclusive de antigos adversários, como Geraldo Alckmin que surpreendeu o Brasil ao se tornar o vice da chapa petista. Hoje Alckmin também foi eleito vice presidente e em se Twitter ele disse: “Nós conseguimos, Lula”.

O presidente hoje eleito também teve o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de Marina Silva, André Janones, Paulinho da Força e, no segundo turno, de Carlos Lupi, Simone Tebet e até de figurões de mercado financeiro, que prezam pela democracia, como Henrique Meirelles, Armínio Fraga, Pedro Malan e João Amoedo.

Pela primeira vez todas as centrais sindicais apoiaram um candidato no segundo turno. CUT, Força Sindical, UGT, NCST, CTB, CSB, CONLUTAS, INTERSINDICAIS e Pública estiveram juntas sabendo que a derrota de Bolsonaro abre perspectivas de negociação aos interesses dos trabalhadores e trabalhadoras na área social.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso publicou no Twitter o reconhecimento à vitória de Lula.

Em seu discurso, após eleito, Lula disse que não existem dois Brasis. Que o Brasil é um só e que sua vitória foi uma vitória do povo brasileiro e da democracia. Ele repetiu que o compromisso número um de seu governo será garantir que todos os brasileiros possam tomar café da manhã, almoçar e jantar todos os dias.

Deixe uma resposta