Químicos em defesa da democracia participam de atos de 11 de agosto

0
94

Lideranças da FEQUIMFAR e Sindicatos filiados participaram hoje de diversos atos e manifestações em defesa da democracia.

“A Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito ultrapassa 970 mil assinaturas. Todos pela Democracia! Por emprego, direitos e pela vida!”

Sergio Luiz Leite, Serginho
Presidente da FEQUIMFAR e
Vice-presidente da Força Sindical

São Paulo

Em São Paulo, o evento aconteceu na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco. Jurandir Pedro de Souza, diretor financeiro da FEQUIMFAR e presidente do Sindicato dos Químicos de Itapetininga e Região, e Maria Auxiliadora dos Santos, presidente do STTI Instrumentos Musicais e Brinquedos, marcaram presença no ato que também teve a presença de dirigentes do Sindicato dos Químicos de Itapetininga e Sorocaba.

O presidente da Força Sindical, Miguel Torres, afirmou que este dia 11 de agosto é um dia Histórico para a Democracia e o Estado de Direito. “A sociedade civil não pode aceitar os ataques diários ao sistema eleitoral. “Não podemos admitir que o presidente da República desrespeite a Constituição que jurou respeitar”, disse durante sua fala no ato em Defesa da Democracia e do Estado de Direito.

Miguel Torres foi um dos representantes dos trabalhadores que se pronunciou durante o ato que reuniu milhares de pessoas dentro e fora da faculdade. “Este ato reforçou o compromisso inabalável com as instituições, foi sem sombra de dúvidas uma grande celebração da Democracia um ato simbólico e histórico”.

Baixada Santista

O presidente do Sindicato dos Químicos da Baixada Santista, Herbert Passos Filhos, acompanhado de diretores do Sindicato, também fortaleceram a manifestação que reuniu lideranças sindicais, estudantes e movimentos sociais, na praça e também fez a leitura do manifesto.

Ribeirão Preto

Representado pelo presidente Pedro Jesus Sampaio, os Químicos de Ribeirão Preto estiveram nesta manhã em ato realizado no auditório da Faculdade de Direito da USP de Ribeirão Preto. Reunindo professores, estudantes e movimentos sindical e sociais, durante o evento foi lida a carta em defesa da democracia e do processo eleitoral. No fim do dia, lideranças do Sindicato participarão de manifestação que será realizada na Praça XV.

Confira a seguir a íntegra da carta:
Em Defesa da Democracia e da Justiça
No ano do bicentenário da Independência, reiteramos nosso compromisso inarredável com a soberania do povo brasileiro expressa pelo voto e exercida em conformidade com a Constituição.
Quando do transcurso do centenário, os modernistas lançaram, com a Semana de 22, um movimento cultural que, apontando caminhos para uma arte com características brasileiras, ajudou a moldar uma identidade genuinamente nacional.
Hoje, mais uma vez, somos instigados a identificar caminhos que consolidem nossa jornada em direção à vontade de nossa gente, que é a independência suprema que uma nação pode alcançar. A estabilidade democrática, o respeito ao Estado de Direito e o desenvolvimento são condições indispensáveis para o Brasil superar os seus principais desafios. Esse é o sentido maior do Sete de Setembro neste ano.
Nossa democracia tem dado provas seguidas de robustez. Em menos de quatro décadas, enfrentou crises profundas, tanto econômicas, com períodos de recessão e hiperinflação, quanto políticas, superando essas mazelas pela força de nossas instituições.
Elas foram sólidas o suficiente para garantir a execução de governos de diferentes espectros políticos. Sem se abalarem com as litanias dos que ultrapassam os limites razoáveis das críticas construtivas, são as nossas instituições que continuam garantindo o avanço civilizatório da sociedade brasileira.
É importante que os Poderes da República – Executivo, Legislativo e Judiciário – promovam, de forma independente e harmônica, as mudanças essenciais para o desenvolvimento do Brasil.
As entidades da sociedade civil e os cidadãos que subscrevem este ato destacam o papel do Judiciário brasileiro, em especial do Supremo Tribunal Federal, guardião último da Constituição, e do Tribunal Superior Eleitoral, que tem conduzido com plena segurança, eficiência e integridade nossas eleições respeitadas internacionalmente, e a todos os magistrados, reconhecendo o seu inestimável papel, ao longo de nossa história, como poder pacificador de desacordos e instância de proteção dos direitos fundamentais.
A todos que exercem a nobre função jurisdicional no país, prestamos nossas homenagens neste momento em que o destino nos cobra equilíbrio, tolerância, civilidade e visão de futuro.
Queremos um país próspero, justo e solidário, guiado pelos princípios republicanos expressos na Constituição, à qual todos nos curvarmos, confiantes na vontade superior da democracia. Ela se fortalece com união, reformando o que exige reparos, não destruindo; somando as esperanças por um Brasil altivo e pacífico, não subtraindo-as com slogans e divisionismos que ameaçam a paz e o desenvolvimento almejados.
Todos os que subscrevem este ato reiteram seu compromisso inabalável com as instituições e as regras basilares do Estado Democrático de Direito, constitutivas da própria soberania do povo brasileiro que, na data simbólica da fundação dos cursos jurídicos no Brasil, estamos a celebrar.
Brasil, 11 de agosto de 2022

Deixe uma resposta