Seminário sobre Descarbonização discute desafios e perspectivas para a mobilidade sustentável no Brasil

0
84

No dia 19 de março, lideranças da FEQUIMFAR/Força Sindical participaram do Seminário Descarbonização que teve como tema “Os Caminhos para a Mobilidade de Baixo Carbono para o Brasil”.

O evento foi realizado pela Esfera Brasil e o MBCB (Mobilidade de Baixo Carbono para o Brasil), reunindo representantes de toda a cadeia da mobilidade para dialogar sobre soluções inovadoras para o presente e o futuro do setor.

“Evento representativo que aponta desafios para uma transição energética de baixo carbono, inovadora, e principalmente inclusiva. Precisamos de um transição justa, afinal, o combustível do futuro depende também de setores com trabalhadores com direitos trabalhistas e previdenciários, saúde segurança e melhoria da renda”, destacou Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da FEQUIMFAR e vice-presidente da Força Sindical.

Os trabalhadores estiveram representados por lideranças da FEQUIMFAR, Sergio Luiz Leite, presidente, Edson Dias Bicalho, secretário geral, e Jurandir Pedro de Souza, diretor financeiro, que também compõem a IndustriALL Brasil e a Força Sindical; Jamil Dávila, secretário geral dos Metalúrgicos de Curitiba/Força Sindical, Moisés Selerges, Aroaldo Oliveira da Silva, Wellington Messias Damasceno e Renato Carlos Almeida, o Renatinho, secretário-geral da CNM/CUT, além de Ubiraci Dantas, o Bira, da CTB.

A programação contou com palestras que destacaram o protagonismo do Brasil na transição energética, a neoindustrialização e o impacto no PIB e a regulamentação da agenda de descarbonização.

Pelo governo estavam no Seminário o vice-presidente e ministro de Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, os ministros Fernando Haddad (Fazenda) e Renan Filho (Transportes), o secretário do Mdic Márcio Elias Rosa, o secretário de comunicação, Paulo Pimenta, além do presidente do BNDES, Aloizio Mercadante, do Presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco.

Deixe uma resposta