Vice-governador Rodrigo Garcia visita a Força Sindical

0
98

Os Químicos da Força participaram hoje de encontro com o vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, na sede da Força Sindical

O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, participou nesta quinta, 10, de um café da manhã com sindicalistas e o deputado federal Paulinho da Força, na sede da central.

O encontro faz parte do ciclo de reuniões da entidade com os candidatos ao governo de São Paulo para apresentar as reivindicações do movimento sindical.

Recém-filiado ao PSDB, o vice governador anunciou no fim de maio que é pré -candidato ao governo do estado, uma vez que o governador João Dória pretende disputar a presidência da República.

No encontro, Garcia falou sobre sua trajetória na política e sobre os planos de combate a pandemia. Ele reforçou a promessa de que até o fim de outubro toda a população vacinável será vacinada. “ Hoje nossa preocupação é com a vida e com a saúde. Nossa previsão é de que em 3 ou 4 meses teremos a população da cidade vacinada”.

Garcia também falou sobre os planos pós-pandemia, como um programa de saúde para atender a demanda de cirurgias eletivas que foram canceladas em virtude da crise sanitária e uma frente de trabalho de combate a pobreza.

Reinvindicações

Durante a reunião, representantes dos hoteleiros, motoristas, frentistas, costureiras, químicos, metalúrgicos, construção civil e têxtil cobraram ações efetivas para suas categorias.

Entre as reivindicações, o reajuste do piso mínimo regional de São Paulo, pleito antigo das centrais sindicais, capitaneado pelo presidente da Força SP, Danilo Pereira. Para ele, “ o reajuste serve como instrumento de distribuição de renda e referência para outras categorias”. A pauta também foi reforçada por Sergio Luiz Leite, presidente da Fequimfar.

O presidente do sindicato dos aposentados, João Inocentini, reclamou do fim da gratuidade do transporte público para idosos de até 65 anos e cobrou uma posição do governo. Recentemente, a entidade ganhou uma liminar na Justiça para a volta da gratuidade, porém ela continua suspensa. “ Quem mais está sofrendo com essa pandemia é o idoso que está fazendo empréstimos para sustentar a família porque o filho perdeu o emprego. E agora eles não tem nem transporte gratuito para irem se vacinar” lamentou.

Chicão dos Eletricitários fez um apelo para que sua categoria seja considerada prioritária na campanha de vacinação contra a Covid 19. “ Nossa categoria é a 2ª que mais adoece na pandemia, pois os prestadores precisam entrar nas casas de pessoas que podem estar infectadas. Queremos que quem está na linha de frente, seja vacinado ”.

Já Silvan dos Químicos de Guarulhos, protestou contra as tentativas de fechamento da FURP (Fundação do Remédio Popular ) e enfatizou a importância das suas instalações. “A FURP não perde em nada para os grandes laboratórios”.

Fonte: Imprensa da Força São Paulo.
Fotos: Jaélcio Santana.

 

Deixe uma resposta