FEQUIMFAR e Sindicatos filiados discutem o papel do movimento sindical no controle social do SUS em época de pandemia

0
101

A FEQUIMFAR realizou hoje Encontro Virtual com lideranças dos Sindicatos filiados que debateu “o papel do movimento sindical no controle social do SUS em época de pandemia”. A iniciativa foi dos departamentos de saúde do trabalhador, relações étnico-raciais e mulheres e identidade de gênero.

O secretário geral da FEQUIMFAR e presidente do STI Bauru, Edson Dias Bicalho, foi o coordenador do evento que contou com cerca de 40 participantes de várias regiões do estado.

Durante a abertura, Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical, destacou os desafios para o fortalecimento do SUS e a importância do movimento sindical ocupar o seu lugar em representações e espaços sociais que ajudem a consolidar a luta em diversas frentes, entre elas, a saúde do trabalhador.

O diretor do departamento de saúde do trabalhador da FEQUIMFAR, João Scaboli, disse que a FEQUIMFAR e Sindicatos filiados têm como prioridade em seus planejamentos, ações que visam proteger os trabalhadores e não tem sido diferente neste período de combate ao coronavírus.

O debate sobre o papel do movimento sindical no controle social do SUS em época de pandemia ficou com os técnicos do DIESAT, Eduardo Bonfim e Daniele Correia. Com o lema “O SUS é nosso, ninguém tira da gente, direito garantido não se compra e não se vende!”, Eduardo ressaltou a importância do SUS, em especial, neste momento de pandemia.

Daniele destacou a importância de uma educação e formação permanentes e sistemáticas sobre tudo o que interfere na saúde do trabalhador para que seja possível uma leitura conjuntural e a elaboração de ações efetivas.

Para encerrar o encontro, Francisco Quintino, coordenador do departamento de relações étnico-raciais da FEQUIMFAR, parabenizou a todos pelo debate e ressaltou a importância de unir esforços para reduzir toda essa avalanche de preocupações em relação SUS, além de retrocessos e insistentes ameaças do governo.

Maria Auxiliadora, presidente do STTI Instrumentos Musicais e Brinquedos e secretária da mulher da Força Sindical, parabenizou a Federação por mais este encontro, lembrando da importância do debate para que o movimento sindical fortaleça sua luta perante os desafios impostos.

Laura Santos, coordenadora do departamento de mulheres e identidade de gênero da FEQUIMFAR e diretora do STI Itapetininga, falou que a ação conjunta entre homens e mulheres é de extrema importância na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais. Ela destacou também que os transtornos mentais relacionados ao trabalho são desafios a serem enfrentados nesta nova organização do trabalho.

Deixe uma resposta