Químicos da Força no Dia Nacional de Luta em defesa da Vida

0
753

Os Químicos da Força participaram do Dia Nacional de Luta em defesa da Vida, com conscientização e atos nas fábricas e levando informações aos trabalhadores por meio das redes sociais que enfatiza. Com a marca de quase 300 mil mortos, vítimas de Covid-19, a lideranças da FEQUIMFAR e Sindicatos filiados reforçam a necessidade de ações em defesa da vida, da vacina já, por emprego e pelo auxílio emergencial de 600 reais.

“Sem um comando central por parte do governo federal na condução do combate à pandemia, o ‘lockdown da classe trabalhadora’ chama a atenção das autoridades sobre a necessidade de agilidade para obtenção de vacinas para todos, retomada do auxílio emergencial com parcelas de, no mínimo, R$ 600 e em defesa da manutenção e geração de empregos”, afirma Sergio Luiz Leite, Serginho, presidente da FEQUIMFAR e 1º secretário da Força Sindical.

Levantamento da FEQUIMFAR destaca que os Sindicatos filiados estão negociando medidas preventivas de combate à Covid-19, tais como suspensão da produção, licença remunerada, antecipação de férias e feriados e turnos de revezamento.

A FEQUIMFAR e Sindicatos filiados representam cerca de 190 mil trabalhadores distribuídos em indústrias farmacêuticas, químicas, plástico, petroquímicos, abrasivos, fertilizantes, cosméticos, tintas e vernizes, instrumentos musicais e brinquedos, e usinas e destilarias de produção de etanol no estado de São Paulo.

Nas regiões de Suzano, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Rio Claro, Guaíra, Itapecerica da Serra e São José do Rio Preto, os Sindicatos observaram o aumento do regime de trabalho em home-office dos empregados em área administrativa.

Cerca de 60% das empresas do setor de instrumentos musicais e brinquedos aderiu a antecipação dos feriados (seja por conta de Decreto da cidade ou acordo com o Sindicato).

O Sindicato dos Químicos de São Carlos realizou hoje uma parada no expediente, registrando um minuto de silêncio em memória das vítimas da Covid-19. Além disso, também manifestaram a importância da urgência da vacinação em massa.

Na região de Lorena, as empresas seguem os protocolos de segurança para não propagação do vírus e outras entraram com solicitação, ao Ministério da Saúde, para a possibilidade de compra privada de vacina.

Empresas nas regiões de Itatiba sofrem com a falta de matéria prima ou demanda (empresa Cloral, falta de oxigênio / SMP parou por conta de falta de demanda da Volkswagen).

A cidade de Piracicaba antecipou os feriados e estará em lockdown de 27/03 a 04/04. Cerca de 100 empresas da base dos Químicos de Americana na cidade serão afetadas.

Na região de Marília, duas empresas do setor plástico estão renovando acordos de Banco de Horas.

Em Ipaussu e região, a maioria das empresas está com funcionamento normal. Algumas usinas de produção de etanol estão com os trabalhadores em setores administrativos em home-office e trabalhando em apenas um turno (fazendo revezamento entre os trabalhadores), além dos funcionários do grupo de risco em férias.

Empresas na base da região de São João da Boa Vista anteciparam férias coletivas (indústria de cosmético) e também colocaram os trabalhadores em home-office (indústria farmacêutica).

Nas indústrias do setor plástico da região de Jundiaí, trabalhadores de manutenção, ferramentaria, administrativo, logística estão em home-office; e há empresas fazendo revezamento e banco de horas.

Em Jaguariúna, setores administrativos e RH (nas indústrias farmacêuticas) estão em home-office; e nas indústrias de plástico, houve antecipação de férias.

Na região da Baixada Santista, o Sindicato fez alguns acordos por empresa, para atraso das paradas de manutenção, bem como alteração nas jornadas de 4X8 para 4X12 com a mesma carga horária, pessoal administrativo com jornada semanal de 4 dias de dez horas, além de acordos de teletrabalho e home-office.

Deixe uma resposta