MENOSPRESO PLANEJADO E O IMPACTO NA VIDA DAS EMPRESAS E DE SEUS COLABORADORES

0
143

Por Gilberto Ribeiro de Oliveira

Nos últimos dias tem circulado apelos nas redes sociais para coletas de assinaturas visando barrar mudanças em normativas de órgão regulador da saúde (ANS) pela via judicial.

O pano de fundo desta mudança é a orquestração da narrativa de melhoria de atuação do mercado para adequação de seus produtos… na realidade! Estamos presenciando uma ardilosa tentativa de retirar uma proteção legal da saúde limitando a obrigação do ofertante de solução/produto.

A sociedade realmente precisa ser alertada e em especial a classe patronal e de empregados que são as reais vítimas desta ardilosidade em andamento que irá gerar
conflitos muito em breve, que não desejados por parte dos atores sérios que compõem
as diversas organizações que constroem soluções harmônicas todos os dias em mesas
de negociações visando o ganha-ganha.

Assisto diversos empresários buscando cuidar dos seus colaboradores e familiares através dos seguros saúde que enfrentam sérias dificuldades frente a estes gigantes do mercado.

Somos todos hipossuficientes nesta relação, quem não conhece alguém que vira e mexe é surpreendido com negativa do seu pleito de assistência médica?, a dificuldade é democrática e atinge todas as classes, temos que vigiar estas ações.

É uma Luta inglória porque os custos por vezes impossibilitam a manutenção destes programas pelas empresas e empreendedores, ora por falta de margem, ora por
crises as mais diversas, todos são vítimas, em especial o micro, pequeno e o médio
empresário que empreende a duras penas.

Estas abusividades são travestidas de pseudo-benesses que irão gerar conflitos
intermináveis nas relações de trabalho que é compota por profissionais sérios que lutam
para manter relações decentes e equilibradas.

Afirmo isso, pois tive e tenho o privilégio de conviver com juristas do direito do trabalho, do direto coletivo do trabalho, do direito empresarial e em especial do direito coletivo que lutam há anos através de diversas comissões de estudos visando o desenvolvimento de soluções que protejam as relações do trabalho.

Permitir esta maldade anunciada através de uma possível decisão judicial favorável a esta intenção é colocar uma venda nos olhos para uma bomba que irá piorar o já tão combalido contexto vivido por empresários e trabalhadores que necessitam manter a esperança em dias melhores.

Empresário e Trabalhador são parceiros que unem esforços constantes para o  desenvolvimento e realização de sonhos e bons resultados em harmonia visando a
proteção dos seus maiores bens, suas famílias.

Não devemos nos permitir ser bucha de canhão de interesse escusos, é o que
penso e sinto.

Gilberto Ribeiro de Oliveira,
Administrador de Empresas, Advogado e
ex-Membro da Comissão de Direito Sindical da OAB
Diretor do SINDAESP – Sindicato das Empresas de Administração de Empresas do Estado de São Paulo

Deixe uma resposta